Jantar Solidário 2015

Mensagem no Jantar Solidário | 2015

No Ensino Superior há sofrimento. Pessoas com famílias destroçadas, com recursos insuficientes, sem condições que permitam a mesma oportunidade de sucesso académico, a precisar de alojamento, sem conseguir pagar as propinas, sem ter dinheiro para se alimentar ou, pelo menos, para se alimentar decentemente. E, no entanto, a sonhar o futuro! Gente que não se fecha na resignação, com todos os motivos para viver revoltada e, apesar de tudo, gente boa, gente cheia de futuro.

Ao Fundo chega um pedido ou mais por dia. No ano passado, 125 estudantes bateram à nossa porta e este ano, em três meses, já atingimos metade. Que pedidos nos chegam? Há cinco anos, chegavam-nos sobretudo pedidos de apoio no pagamento de propinas. Hoje, propinas, alojamento, alimentação, material escolar, saúde, apoio médico, entre outros.

O Fundo funciona e funciona bem. O Fundo Solidário Justiça e Paz encaminha os estudantes para as respostas institucionais disponíveis. Depois, diretamente ou através dos nossos Parceiros, disponibilizamos 16 tipos de apoio diferentes para os pedidos elegíveis. No ano passado combatemos o abandono escolar e investimos na educação de 114 estudantes no valor de 45 mil euros, o que foi possível pela generosidade de muitos, uma vez que não vivemos de qualquer tipo de financiamento.

Às vezes perguntam-nos sobre o modo como é tomada a decisão do Fundo. Qualquer decisão começa pela entrevista presencial com a nossa socióloga, a Dra. Raquel, e pela apresentação de comprovativos para elaboração do processo. Em seguida, é apreciado o relatório académico e social do estudante pela Coordenação e pelos Parceiros académicos e sociais. A decisão é tomada em equipa. Além disto, a resposta do Fundo aos estudantes éde proximidade constante, de uma rapidez rara e realmente transparente.

O Fundo Solidário Justiça e Paz inspira-se no evangelho e nos valores cristãos. O Fundo Solidário foi criado em 2010 dentro da tripla missão deste Instituto Universitário: cultural/académica, social, espiritual/religiosa. É, deste modo, uma iniciativa da Pastoral do Ensino Superior da Diocese de Coimbra, assente na colaboração de diversas instituições parceiras. Sem os Parceiros não podia haver Fundo. Situados em Igreja, acreditamos e colaboramos na construção de uma Igreja sempre atenta aos mais pobres. Uma Igreja que saiba ler os "sinais dos tempos" mas também os "sinais dos lugares", concretamente a Universidade e o Ensino Superior em geral. Uma igreja atenta às periferias, àqueles que são humilhados, também no Ensino Superior, quando são sujeitos à caridade por não ter sido feita justiça. A estes, Jesus de Nazaré acolhia-os e devolvia-os à Comunidade, punha-os no centro, e a seguirem o Seu caminho para serem, precisamente estes, os agendes da construção de uma nova realidade, de uma nova ordem.

Queremos expressar o nosso reconhecimento sincero pelas instituições académicas e pelos colaboradores que, dentrodetodas as suas possibilidades e recursos, sempre escassos, lutam connosco este combate contra a indiferença e contra a desistência de muitos.

Estamos num momento muito importante do Fundo Solidário. Bate à nossa porta mais do que um estudante por dia.

• Contamos com a criatividade e generosidade da Comunidade, que nunca deixou faltar ao Fundo recursos para entregar aos estudantes. Nunca assistimos a tantos gestos de solidariedade como este ano!
• Ao mesmo tempo, pensamos em medidas de apoio regular ao Fundo Solidário. Apresentamos o cartão “Eu tenho 1 Fundo bom”, um desafio de partilha habitual com o Fundo Solidário Justiça e Paz. Equacionamos entretanto outras possibilidades.
• Por fim, reivindicamos junto dos nossos representantes políticos, novas medidas de combate ao abandono escolar. Estancamos o sangue das feridas, mas o problema só se resolve num sistema novo, estruturalmente diferente, que não esteja constantemente a fazer as suas vítimas. O nosso sistema económico e social está profundamente doente. Muitos são deixados para trás com indiferença. Perguntemos à ADAV, à Caritas, ao Centro de Acolhimento João Paulo II se não é verdade. No nosso tempo, os que dominam avançam e os mais frágeis são esquecidos. A Comunidade do Ensino Superior em Coimbra, que tão generosa tem sido com os últimos, não aceita esta seleção natural darwiniana como definitiva ou fruto do destino. Queremos, com o Papa Francisco, combater a indiferença e construir a cultura do encontro, a cultura da responsabilidade pelo irmão e pela casa comum. Por isso o Fundo Solidário Justiça e Paz e a Comunidade Académica aguardam novas políticas, nacionais e europeias, para uma sociedade mais justa e mais fraterna. Precisamos de uma nova visão sobre o Ensino Superior, para não voltarmos a um ensino de elites sociais e económicas, ameaça que cada vez mais se aproxima. O Fundo Solidário promoveu no dia 26 de novembro o VI Jantar Solidário, no qual participaram mais de 100 pessoas, o Grupo de Cordas da Secção de Fados da AAC e a ISECOTUNA - Tuna Mista do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra.

Sabemos da vontade de colaborar e colaboração efetiva de muitos. Significa que esta causa vos comove, inquieta e faz agir. Continuem a contar com o Fundo Solidário. Nós continuamos a contar convosco.

26 de novembro de 2015
Pe. Paulo Simões Diretor do Instituto Universitário Justiça e Paz